São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Corrida de rua 01/10/2017

Corrida Contra o Câncer de Mama é azul e branca, mas com ‘espírito’ rosa e leve

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade

Participantes na avenida Santos Dumont (Esportividade)

Resultados: clique aqui e confira o seu. Fotos: clique aqui e encontre as suas.

“Outubro rosa” começou azul e branco na zona norte de São Paulo. A 56ª edição de Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama deixou cheias (de saúde) ruas de Santana e o Parque de Material Aeronáutico, o Pama-SP, no aeroporto Campo de Marte. As cores eram as da famosa campanha “O Câncer de Mama no Alvo da Moda”.

camVocê em ação na corrida: encontre e baixe sua foto
Clique aqui para ver suas fotos como participante da Corrida Contra o Câncer de Mama; encontre também as dos amigos!

O Instituto Brasileiro de Controle do Câncer detém a licença da marca no Brasil. Desde o ano de 1999 utiliza a prova como forma de propagação da importância do diagnóstico precoce, o qual aumenta as chances de cura, e de arrecadação de fundos – a receita líquida é revertida para o IBCC.

Inclusão na Corrida Contra o Câncer de Mama (Esportividade)

“O evento é importante para reforçar o quão relevante é essa doença”, disse Walter Galvão Moura Pereira, gerente médico do instituto. “O câncer de mama é a principal patologia desse tipo que acomete as mulheres no Brasil.”

Apesar da seriedade com que o assunto deve ser tratado, isso não significou uma Corrida Contra o Câncer de Mama tensa e pesada. Muito pelo contrário. O ambiente era bastante agradável e leve, e o sol “deu as caras” após uma noite chuvosa.

Corrida e Caminhada Contra o Câncer de Mama (Esportividade)

“Estar bem consigo mesma vai deixar você mais forte, com mais vontade de enfrentar o tratamento”, afirmou o médico. “A prática de atividades físicas libera uma série de substâncias que são benéficas ao corpo.”

Para quem superou a doença, a corrida representa uma celebração de uma etapa vencida. “Elas estarem aqui, podendo participar da prova, é muito gratificante, tanto para elas como para quem acompanhou o tratamento”, afirmou Walter.

Curva no Campo de Marte (Esportividade)

Mulheres e homens participaram de corridas de 10 km e 5 km, saindo para a rua e percorrendo vias internas do Campo de Marte, e de caminhada de 3,5 km – somente nas dependências do Pama-SP.

São Paulo foi a única cidade que em 2017 recebeu a prova do IBCC, que até 2016 costumava acontecer também em outras regiões do Brasil. O evento passou por uma reestruturação; até a empresa organizadora foi diferente em 2017: foi a nova Life Marketing Esportivo.

Planos para 2017

Reta final no Campo de Marte (Esportividade)

Embora o IBCC tenha considerado superpositivo o evento no Campo de Marte, diz que mais pessoas gostariam de participar dele em São Paulo. A região, porém, não permite isso, pois não é possível interditar ambos os sentidos da avenida Braz Leme, por exemplo. Um retorno às imediações do parque do Ibirapuera não é descartado.

O evento já tem data para acontecer em 2018: 30 de setembro, domingo. Não poderá ser realizado em outubro por causa das eleições.

Leia também:
Força feminina das atletas chega ao Villa-Lobos antes do Cirque du Soleil

Comentários


  • Elisabeth de Azevedo Moura disse:

    Participei desta corrida, adorei lugar e o acesso. Parabéns pela corrida,e pela causa.

  • Vilania da Silva Marinho disse:

    A causa e o evento é realmente incrível, mas quero deixar aqui a minha decepção com o trajeto. Muito desorganizado e sem sinalização, sem contar os postos de hidratação que para os atletas de 5 km’s só teve hidratação no 2 km e na chegada. Obvio que corredores de longa data não precisam de tanto, mas pensem no publico que prestigiou seu evento, muitos são vitoriosos em tratamento ou até mesmo que já venceram essa luta. Sugiro na proxima edição possamos ser mais felizes no trajeto. Tinham pedaços de madeira, poças d’agua. Infelizmente muito mal organizado.
    Por favor me digam onde ver o resultado?

    Obrigada,

    Vilânia Marinho

  • Luiz Fernando Pacheco disse:

    Boa tarde pessoal do Esportividade, muito boa a matéria sobre a prova! Realmente muito interessante essa prova e a campanha de conscientização sobre o autoexame na prevenção do câncer, achei a prova com um clima descontraído e super positivo por parte de todos os atletas e público presente!

    Mas tenho algumas ressalvas quanto à organização que, pelo que foi informado por aqui, é uma empresa nova no ramo de corridas de rua:
    1 – guarda-volumes longe da área de largada, fácil de confundir com as tendas “vips”, sem identificação alguma (alguns staffs nem sabiam onde ficava o local), sendo num hangar atrás das tendas de assessorias, com poucas pessoas atendendo o que ocasionou uma imensa fila de espera minutos antes da largada, além da demora na devolução dos pertences pós prova;
    2 – largada atrasou em quase 10 minutos;
    3 – inversão do percurso normalmente realizado nessa região, ou seja, ao invés do início ser no interior do PAMA com a metade final na avenida Bráz Leme e Santos Dumont, e chegada mais reta e fácil ao pórtico, foi o contrário dessa vez;
    4 – percurso mal sinalizado (especialmente dentro do PAMA, com poucos staffs para orientar o fluxo da corrida de 10K que realizei / tive que perguntar para qual lado seguir em um momento da prova), e mal dividido – quando houve a junção da corrida dos 10K com a corrida de 5K e mais a caminhada, foi um caos, com desvios de percursos (ouvi gente reclamando de atletas que cortaram caminho), paredões dos caminhantes e prejuízo aos que gostariam de fazer tempo (além dos buracos na rua e poças enormes na área interna!).
    5 – Por fim, algo que nunca tinha visto em corridas de rua em SP: após a largada, logo após sair do PAMA presenciei um militar manobrando um ônibus verde na avenida Santos Dumont, atrapalhando os corredores dos 5K que já estavam voltando (e o maior absurdo de todos: o motorista estava discutindo com um dos staffs da prova que estava tentando impedi-lo de causar tanto transtorno ou, pior ainda, um acidente grave)… coisas de Brasil.

    Espero que essa nova empresa aprenda com os percalços dessa prova, e que tenha mais organização e staffs melhor orientados nas próximas provas. Quem sabe a mudança para um local que comporte melhor os corredores e de forma mais direcionada seja uma solução! Abraços a todos que participaram da prova.

    • Esportividade disse:

      Oi, Luiz! Obrigado. Vamos enviar seu parecer para a Life Marketing Esportivo. É importante para eles saber disso. 🙂

      • Luiz Fernando Pacheco disse:

        Obrigado Esportividade por mais esse serviço. Acho muito importante ter um canal de comunicação atento e eficiente como vocês para servir de “ponte” entre nós corredores e as organizadoras, de modo a passar um “feedback” das provas, tanto positivo quanto negativo, para quem sabe ocorrerem melhorias e evolução nas corridas de rua da cidade de São Paulo. Parabéns e continuem nesse caminho! Abraços.

  • Silvia Souza disse:

    Eu fiz uma entrevista com a Fabiola Guadelha da TV Record gostaria de saber se foi publicada e aonde.
    Muito obrigado
    Att
    Silvia Souza
    5822

  • Deixe seu comentário