São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Futebol 05/02/2015

Pacaembu agrada a são-paulinos para os quais o Morumbi é ‘fora de mão’

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade
Torcida do São Paulo no Pacaembu (Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Torcida do São Paulo no Pacaembu (Rubens Chiri/saopaulofc.net)

O futuro do Pacaembu está em pauta neste início de 2015, pois em janeiro a Prefeitura de São Paulo convocou interessados em obter a concessão do estádio a apresentar propostas para a modernização do Paulo Machado de Carvalho. Enquanto não são divulgadas as ideias – e não se sabe ainda se realmente surgirão empresas interessadas no negócio –, o São Paulo faz o mesmo uso de sempre do Pacaembu: como um “plano B” para quando o Morumbi está impossibilitado de receber jogos. Quem gosta disso é a torcida são-paulina de regiões da cidade mais afastadas do distrito da zona oeste.

Nesta semana são duas as partidas do São Paulo no Pacaembu: a primeira aconteceu ontem, 4 de fevereiro, e foi contra o Capivariano; a segunda e última está marcada para sábado, dia 7, e será diante do XV de Piracicaba. Jogos assim, contra pequenos times do interior, naturalmente atraem menos espectadores. A vantagem de realizá-las no Pacaembu é que, mesmo com menor público, o estádio municipal não parece tão vazio quanto pareceria o Morumbi, onde o São Paulo coloca mais de 66 mil ingressos à venda – no Pacaembu põe pouco mais de 40 mil.

O meia Paulo Henrique Ganso no Pacaembu  (Rubens Chiri/saopaulofc.net)

O meia Paulo Henrique Ganso no Pacaembu (Rubens Chiri/saopaulofc.net)

A estação de metrô mais próxima ao Morumbi é a Butantã e fica a quatro quilômetros de lá. Já a estação Clínicas está pouco mais de um quilômetro distante do Pacaembu. Mas a estação São Paulo-Morumbi, ainda não inaugurada, facilitará a vida do torcedor.

“É interessante ter o São Paulo aqui em jogos menores”, disse o representante comercial Jardel Lisboa, que viu seu time bater o Capivariano por 4 a 2. “De onde moro, Vila Maria, aqui é mais perto. Vim mais por causa do meu menino, que tem 11 anos. Ele nunca havia estado aqui. Se esse jogo fosse no Morumbi, a torcida ficaria muito pequena dentro do estádio. Aqui você consegue centralizá-la mais, deixar o pessoal mais junto.”

Alexandre Pato vibra com gol no Pacaembu  (Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Alexandre Pato vibra com gol no Pacaembu (Rubens Chiri/saopaulofc.net)

O tecnólogo em radiologia Augusto Oliveira também mora na zona norte. “O São Paulo tem sim de vir de vez em quando para cá, porque o Morumbi é nossa casa, é muito maior, mas para chegar ao estádio é um pouco difícil, principalmente para quem mora mais ao norte. Eu, por exemplo, moro no Tucuruvi”, afirmou o torcedor, que saiu do Instituto do Câncer, onde trabalha, às 19h e já às 19h20 estava dentro do estádio. “No Morumbi não chegaria a tempo.” Em 4 de fevereiro o Pacaembu recebeu 7.650 espectadores, 7.498 deles pagantes.

Augusto deu algumas sugestões de uso do Pacaembu de agora em diante. Até sugeriu jogos de futsal, a exemplo do que houve em Brasília, para a agenda do estádio ficar mais cheia. Afirmou que o Santos poderia mandar mais partidas na capital paulista e deu ideias de futebol feminino e sub-20.

Para saber como comprar seu ingresso para São Paulo x XV de Piracicaba clique aqui. E o São Paulo volta a jogar no Morumbi no dia 21 de fevereiro, sábado, quando o gramado já estará pronto para receber partidas. A do retorno será contra o Grêmio Osasco Audax.

Deixe seu comentário