São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS

Pesquisa confirma: paulistano busca sair da rotina na Virada Esportiva

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade
Tirolesa no Vale do Anhangabaú (Jose Cordeiro/SPTuris)

Tirolesa no Vale do Anhangabaú (Jose Cordeiro/SPTuris)

Muita coisa já aconteceu depois da décima edição da Virada Esportiva da cidade de São Paulo: um novo prefeito eleito já em primeiro turno, saída de secretário de Esportes, Lazer e Recreação (José de Lorenzo Messina). Ainda é tempo de uma avaliação dos números de uma pesquisa conduzida pela São Paulo Turismo nos dias do evento, 24 e 25 de setembro. O relatório confirmou o que o guia Esportividade afirma há dois anos: que o que os paulistanos mais esperam da Virada é conhecer novas modalidades. Questionados sobre “Para você, o que as 48 horas da Virada Esportiva representam?”, 45,1% dos entrevistados responderam “conhecimento de práticas esportivas”.

Esse é um dado importante para a próxima gestão da secretaria municipal (Seme). As Viradas Esportivas costumavam ser divulgadas com base em números de atividades e de locais para a prática esportiva no fim de semana do evento e ressaltando as atividades da madrugada. Os números, porém, mostram que não é disso que as pessoas mais gostam na VE.

Caso continue a existir na gestão do prefeito eleito João Doria (PSDB), a Virada Esportiva deveria ser um momento em que a prefeitura oferece ao cidadão uma oportunidade de ele sair do sedentarismo ou, se ele não for sedentário, de inovar – praticar uma modalidade diferente daquela do seu cotidiano. Segundo a pesquisa, 30,1% dos que foram à Virada-2016 ainda tinham como intenção apenas assistir às atividades, ou seja, ainda existe como valorizar a prática esportiva mesmo entre os que já frequentam o evento.

Mais alguns números

Diz o relatório: “A pesquisa aponta que o público entrevistado na Virada Esportiva-2016 foi semelhante ao de 2015 em aspectos demográficos, tais como gênero, escolaridade, renda familiar e ocupação. Nesses quatro itens apontados, o perfil predominante dos participantes em 2016 foi de homens (57,5%), com ensino médio completo (36,6%) ou superior completo (28,4%), renda familiar de dois a três salários mínimos (36,2%) e assalariados (50,5%). A faixa etária predominante do público foi a de 25 a 29 anos (29,8%) seguida da entre 30 e 39 anos (23,1%)”.

Como a Virada-2016 foi realizada uma semana antes das eleições municipais, pôde ser divulgada apenas de forma oficial pela prefeitura (sem compra de publicidade, por exemplo). A internet, então, foi o grande meio pelo qual as pessoas tomaram conhecimento do evento (30,7%).

Confira o relatório completo clicando aqui.

Deixe seu comentário