São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Corrida de rua 31/12/2018

São Silvestre-2018 volta a unir brasileiros após meses de desunião e clima hostil

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade

Corredores bebem cerveja na Brigadeiro (Esportividade)

Fotos: clique aqui e encontre as suas. Resultados: clique aqui e, usando o sistema de busca, confira o seu.

A edição de 2018 da Corrida Internacional de São Silvestre, a 94ª da história, foi o evento em que o brasileiro finalmente pôde se reunir – no sentido de voltar a estar unido – após um ano de muita divisão no Brasil – principalmente por motivos políticos.

camVocê em ação na corrida: encontre e baixe sua foto
Clique aqui para ver suas fotos como participante da Corrida de São Silvestre de 2018; ache as dos amigos também!

Toda aquela agressividade vista nas redes sociais neste segundo semestre inexistiu neste dia 31 de dezembro. Prevaleceu o espírito de equipe, cujo maior símbolo foi a entrega de cerveja na subida da avenida Brigadeiro Luís Antônio, na altura da placa dos 14 km completados. Não se tratava de uma ação da organização do evento: os próprios corredores doaram e distribuíram um pouco da bebida aos colegas interessados.

Subida da Brigadeiro (Esportividade)

Ainda na subida da Brigadeiro, um participante passou mal e caiu, e pelo menos cinco pararam para ajudá-lo; apesar de saberem que essa parada significaria um atraso, preferiram dar atenção ao atleta.

Túnel que liga Paulista à av. Doutor Arnaldo (Esportividade)

No começo da prova, no túnel pós-avenida Paulista, a gritaria era de alegria, e o som produzido por milhares de pessoas era música para os ouvidos dos corredores, que, naquele trecho, no primeiro quilômetro, foram apoiados por centenas de espectadores.

Curva do Theatro Municipal de SP (Esportividade)

Os sons da São Silvestre são peculiares, não existindo paralelo em nenhuma outra corrida do Brasil. A reportagem do Esportividade passou boa parte dos 15 km escutando um chocalho indígena que balançava conforme um participante – vestido a caráter – corria.

“La Casa de Papel” na São Silvestre (Esportividade)

As horas anteriores à largada foram um show à parte. A cada ano, de acordo com os assuntos do momento, novas fantasias são vistas na prova, e a espanhola “La Casa de Papel”, uma das séries mais comentadas no Brasil em 2018, foi “retratada” na 94ª edição.

Alegria pré-largada (Esportividade)

Graças à São Silvestre, o ano de 2018, tão conturbado no Brasil, teve pelo menos algumas horas de alegria genuína e reunião justamente em seu último dia e no lugar onde ocorreram as maiores manifestações políticas desta década.

Organização se sai bem

Saída da curva final da São Silvestre (Esportividade)

A São Silvestre-2018 foi o primeiro grande “teste” da organização do evento após os incidentes de 2016, quando, em um dia de muito calor, faltou água.

Corredores avistam pórtico de chegada (Esportividade)

Como em 2017, ano de novas medidas, choveu antes da prova e a temperatura estava mais amena, uma pergunta ainda ficou no ar: “E como será em um dia mais quente?”. A resposta foi dada neste 31 de dezembro de 2018, e a São Silvestre foi aprovada.

Penúltimo posto de água (Esportividade)

Os seis postos de hidratação, no momento em que a reportagem do Esportividade passou por eles, deram conta do recado – e a sensação térmica beirou os 30ºC.

Controle de acesso na al. Ministro Rocha Azevedo (Esportividade)

Pelo segundo ano, o controle de acesso à área de largada, onde só podiam ficar os inscritos, foi eficiente. Quando foi autorizada a saída, a reportagem gastou quatro minutos e meio de onde estava, entre os setores Verde e Marrom, até o pórtico.

Entrada do túnel (Esportividade)

Foi preciso caminhar na entrada do túnel. Na descida ao lado do estádio do Pacaembu, era ainda necessário tomar cuidado, mas o ritmo pessoal já fluía mais. No terceiro quilômetro, logo após a praça Charles Miller, os atletas puderam de fato começar a desenvolver o próprio ritmo.

Viaduto Orlando Murgel na 94ª São Silvestre (Esportividade)

O primeiro grande desafio foi o viaduto Orlando Murgel, que liga as avenidas Rudge e Rio Branco. Sem sombra, foi ali que o calor começou a ser mais sentido. Manter-se hidratado, então, foi fundamental a partir desse ponto. E a distribuição de água aos inscritos correspondeu às expectativas.

Comentários


  • Almir Sales disse:

    E o resultado vai sair quando classificação geral ?
    Desde já obrigado Deus abençoe e um feliz ano novo

  • Almir Sales disse:

    Obrigado Deus abençoe.fica na paz

  • Fábio Batista Pereira disse:

    Bom dia queria saber tempo que fiz número peito 2273 ok

  • Carlos Alberto da Silva disse:

    Parabens a organização, estava tudo auase que perfeito, não faltou agua os pipocas sumirao, a camiseta é linda e a medalha estilosa.

  • fabricio acacio disse:

    encontrei minhas fotos mas nao meu resultado
    porque?

  • Adriana Bacarji Moussa De Miranda disse:

    Quero ser avisada sobre a inscrição.
    Obrigada

  • Marcio Antônio de Oliveira disse:

    A foto que aparece não é minha. Meu número foi clonado.

  • FRANCISCO ALVES FARIAS NETO disse:

    Aguardo informações.

  • RENATO RESCHKE disse:

    Pretendo correr a São Silvestre este ano. Primeira vez.

  • Deixe seu comentário