São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS

Sobreposição imagética mostra como SP era a ‘cidade esportiva dos rios’

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade
Clube de Regatas Tietê abaixo e Esperia acima

Clube de Regatas Tietê abaixo e Esperia acima

Nas primeiras décadas do século XX, era impossível dissociar o esporte praticado em São Paulo dos rios da cidade. A maior parte dos principais clubes poliesportivos era fundada justamente nas regiões com ampla oferta de água, pois era comum a prática de natação e remo, por exemplo. Ainda hoje existem clubes nas zonas marginais de Tietê e Pinheiros, mas, com o passar do tempo e as retificações de ambos, perdeu-se a noção do motivo de estarem onde estão. Sobreposições de imagens ajudam a entender as raízes do esporte paulistano.

Esporte Clube Pinheiros, então Germânia

Esporte Clube Pinheiros, então Germânia

Uma ortofotografia de 2004 foi posicionada sobre o grande mapa municipal de 1930, e o que se vê é como os clubes aproveitavam os rios Pinheiros e Tietê para a prática esportiva há 87 anos. Até mesmo o Sport Club Germânia, futuro Esporte Clube Pinheiros, contava com uma “praia particular”. Não se tem, entretanto, essa noção atualmente, pois o rio foi retificado e um pouco recuado – como se observa na imagem acima.

AA São Bento, São Paulo FC (azul) e CR Tietê (amarelo) por "Tietê, o rio do Esporte"

AA São Bento, São Paulo FC (azul) e CR Tietê (amarelo) por “Tietê, o rio do Esporte”

Somente o rio separava e ainda separa o Esperia do Tietê, mas, em 1930, justamente o ano em que o São Paulo Futebol Clube foi fundado e jogava também ali, no campo que se chamava Chácara da Floresta, aquele era o “centro nervoso” do esporte paulistano. Não era à toa a existência da “praça dos Esportes” diante do Clube de Regatas Tietê, entre este e a atual avenida Santos Dumont. Leia também: Prefeitura ignora no Centro Esportivo Tietê parte importante da história de Corinthians e São Paulo.

Estádio do Canindé

Estádio do Canindé

Com a sobreposição, também é possível entender por que parte do terreno do estádio do Canindé é da prefeitura e outra parte, da Portuguesa. A parte que é da administração municipal é justamente aquela que em 1930 estava inundada. Antes da Lusa, ocuparam a área a Associação Alemã de Esportes e o São Paulo Futebol Clube.

Sede do Corinthians no Parque São Jorge

Sede do Corinthians no Parque São Jorge

Quando o Tietê foi retificado, o Corinthians pôde construir quadras no terreno do Parque São Jorge, ganhando área construída. Dos três grandes clubes de futebol da capital paulista, o único que em 1930 não tinha casa em frente ao Tietê era o Palestra Itália, o Palmeiras, que já estava no Parque Antarctica.

Parque Antártica (Palestra Itália)

Parque Antarctica (Palestra Itália)

Você mesmo pode “brincar” de “navegar” por São Paulo de 1930: o Geosampa (clique aqui) é um serviço público oficial da capital paulista. Basta, em “mapa base”, à direita, escolher “mapeamento 1930 – Sara” e compará-lo com “ortofoto 2004 – MDC”.

Deixe seu comentário