São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Futebol 27/06/2014

Ao fim do duelo entre Bélgica e EUA, apenas um lado de rua de SP vibrará

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade
Belga Corner, na Pedroso Alvarenga (Andrei Spinassé/Esportividade)

Belga Corner, na Pedroso Alvarenga (Andrei Spinassé/Esportividade)

Pela rua Pedroso Alvarenga, no Itaim Bibi, zona oeste de São Paulo, passarão belgas e norte-americanos em 1º de julho, terça-feira, quando as seleções se enfrentarão por uma vaga nas quartas de final da Copa do Mundo. O jogo será disputado em Salvador, na Bahia, mas dois bares separados por pouco mais de 100 metros serão pontos de encontro das torcidas na capital paulista.

BOS BBQ, na Pedroso Alvarenga (Andrei Spinassé/Esportividade)

BOS BBQ, na Pedroso Alvarenga (Andrei Spinassé/Esportividade)

No BOS BBQ, no número 559, norte-americanos viram a seleção comandada pelo alemão Jürgen Klinsmann ser derrotada justamente pela Alemanha por 1 a 0 em 26 de junho, mas garantir classificação graças ao resultado do outro jogo do grupo (Portugal 2×1 Gana). Os lá presentes também puderam assistir a um show de música country.

Chris Van Neyghem no Belga Corner (Andrei Spinassé/Esportividade)

Chris Van Neyghem no Belga Corner (Andrei Spinassé/Esportividade)

Quando o BOS BBQ já estava bem mais vazio, o Belga Corner, no número 666, na calçada oposta, começava a encher. A Bélgica enfrentaria a Coreia do Sul na Arena Corinthians, na zona leste paulistana, e os torcedores belgas que não possuíam ingresso lá se reuniram. Foi o caso do gerente de serviços ao cliente Chris Van Neyghem, casado com uma brasileira. “Estamos construindo uma casa em Mairiporã. Até conseguiria ingresso, mas se fôssemos eu, minha esposa e meu filho ficaria pesado. Mas gosto também de ver pela televisão”, disse, em português, ele, que está no país há sete anos. “Nas primeiras duas partidas, eles não jogaram muito, mas ganharam. Hoje quero vê-los vencer a Coreia do Sul com vários golaços”, afirmou o morador do Tucuruvi.

Dirk Van Hoomissen, outro belga que fala português, viu de perto a vitória da Bélgica por 2 a 1 (contra a Argélia) em sua estreia nesta Copa do Mundo, mas não foi ao Itaquerão. “Gostaria de ter ido, mas não consegui ingresso. Por isso vim ao Belga Corner. Eu fui para Belo Horizonte, mas obviamente eu queria ir também ao jogo daqui”, contou ele, que está no Brasil há quase três anos e é diretor de uma empresa de transporte marítimo.

O Belga Corner ficou cheio, mas a Bélgica não correspondeu às elevadas expectativas de belo futebol. Teve até jogador expulso, Steven Defour, no fim do primeiro tempo. A seleção belga já estava classificada às oitavas de final e começou a partida sem seu camisa 10, o meia Eden Hazard, jogador do clube inglês Chelsea, poupado. Acabou por entrar em campo no segundo tempo, quando os belgas já venciam por 1 a 0 – gol do zagueiro Jan Vertonghen.

Cerveja Jupiler com latinha especial com jogadores da Bélgica  (Andrei Spinassé/Esportividade)

Cerveja Jupiler com latinha especial com jogadores da Bélgica (Andrei Spinassé/Esportividade)

A vitória da Bélgica animou os lá presentes, muitos dos quais bebiam a cerveja belga Jupiler. Agora os adversários serão os colegas de rua.

Mais da série “Copa do Mundo na cidade”:

Série “Copa do Mundo no estádio”:

Série “Copa do Mundo com todo mundo”:

Deixe seu comentário


Enviando esse comentário estou ciente da política de privacidade deste SITE JORNALÍSTICO.