São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Corrida de rua 02/03/2015

Mudança no trecho inicial dá mais dinamismo à Meia Maratona de SP

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade
Momentos antes da largada da Meia Maratona de São Paulo (Sérgio Shibuya/MBraga Comunicação)

Momentos antes da largada da Meia Maratona de SP (Sérgio Shibuya/MBraga Comunicação)

Uma mudança no percurso da Meia Maratona Internacional de São Paulo deixou o início de prova mais organizado e dinâmico. Diferentemente de anos anteriores, em que os atletas largavam na praça Charles Miller olhando para o estádio do Pacaembu e percorriam um trecho ainda dentro dela antes de seguirem para a avenida Pacaembu, em 2015 os participantes saíram de costas para o Paulo Machado de Carvalho e entraram na avenida Arnolfo Azevedo antes de se dirigirem à avenida Pacaembu. Nas edições em que a passagem pela praça Charles Miller era mais longa, havia mais bagunça nos pelotões intermediário e traseiro devido ao acúmulo de pessoas e aos 360 graus da “rotatória” logo depois do pórtico.

Os "5 km" da Meia Maratona de São Paulo (RunKeeper)

Os “5 km” da Meia Maratona de São Paulo (RunKeeper)

Quem fez a prova mais curta, porém, não correu a distância pretendida. Os aplicativos de corrida marcaram ao fim do percurso 4,85 km, não 5 km, como ela é batizada. Mas o regulamento deixa claro que a prova secundária teria, na verdade, de 4,5 km a 5 km. Só que isso não tirou a graça do evento para os corredores de distâncias mais curtas: a partir da metade do percurso, eles tiveram a rua “só para eles”, pois os participantes dos 21,097 km foram para outra direção – a largada havia sido em conjunto.

Uma coincidência marcou os 21,097 km dos profissionais. Solonei Rocha da Silva deu “o troco” em Giovani dos Santos pela mesma diferença pela qual havia sido derrotado nos 10 km do Troféu Brasil de 2014: três segundos – 1h04min36 a 1h04min39. Daniel Chaves da Silva foi o terceiro colocado em ambas as provas. No feminino, Joziane Cardoso confirmou o favoritismo e conquistou o bicampeonato; e com a segunda posição ficou a queniana Gladys Kataron Kiplagat.

A vencedora disse à assessoria de imprensa da Meia Maratona de São Paulo: “O percurso mudou um pouco com relação ao ano passado. Achei que nesta edição houve mais sobe e desce. Eu senti um pouco o ritmo. Mas me preparei bem para correr fortemente. Até o km 10 estava fazendo uma prova tranquila, e vi que outras atletas começaram a chegar. Eu aumentei o ritmo, comecei a sentir. Mesmo assim segui em frente. No km 15 consegui abrir um pouco, e a partir daí foi meio no sofrimento. Mas valeu a pena. Estou muito feliz por ser bicampeã desta prova tão bacana e que já se tornou tradicional no circuito de corridas de rua do país. Agora quero começar a trabalhar para conseguir índice para o Pan-Americano, que é meu objetivo no ano”.

Comunicado da Confederação Brasileira de Atletismo:

Por meio da nota oficial número 40/2015, a CBAt anunciou que os resultados da 9ª Meia Maratona Internacional de São Paulo, que foi disputada no último domingo (dia 1º), com largada e chegada em frente ao estádio do Pacaembu, não serão homologados para efeito do ranking brasileiro porque a prova não foi realizada no percurso oficialmente medido.

A superintendência técnica da entidade decidiu também que a classificação será mantida para efeito do ranking Caixa CBAt de corredores de rua-2015. A segunda etapa será disputada no dia 22 de março: a Meia Maratona Caixa de Florianópolis, em Santa Catarina.

Deixe seu comentário


Enviando esse comentário estou ciente da política de privacidade deste SITE JORNALÍSTICO.