São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Esporte 03/02/2021

Parques de São Paulo voltam a funcionar aos fins de semana após abrandamento

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade

Parque da Aclimação, na região central de São Paulo (Esportividade)

Observação (feita às 10h15 de 1º de março de 2021): parques e centros esportivos municipais de São Paulo têm horário reduzido após regressão à fase Laranja.

Os parques de São Paulo, já a partir dos dias 6 e 7 de fevereiro de 2021, estarão de novo abertos aos fins de semana, uma vez que foi revogada a medida que decretava fase Vermelha aos fins de semana mesmo em regiões que se encontravam em outras etapas do Plano São Paulo. Neste fim de semana, dessa maneira, os parques municipais da capital paulista (das 6h às 18h), os estaduais urbanos (horário não padronizado) e os centros esportivos municipais (das 6h às 14h) poderão ser frequentados pela população.

As academias de ginástica também podem voltar a funcionar aos fins de semana, mas ainda as regras da fase Laranja – em que está a região metropolitana de São Paulo até, pelo menos, sexta-feira (5) – precisam ser respeitadas. Isso significa limite de 40% da capacidade total, horário reduzido (oito horas diárias, mas somente após as 6h e antes das 20h), entrada só após agendamento do aluno e proibição de aulas e práticas coletivas.

Parque do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo (Esportividade)

O governo estadual disse ter optado por esse abrandamento por causa da queda do número de pessoas com covid-19 internadas – principalmente nas regiões que estão na fase Laranja. O Centro de Contingência do Coronavírus afirma que, no entanto, os indicadores se assemelham aos de julho e agosto de 2020.

Na região metropolitana de São Paulo, o número de leitos de UTI ocupados, que é considerado o principal deles, caiu para 67%, e no estado é de 67,8%.

apenas 12 dias, em 22 de janeiro, o governo estadual previa colapso do sistema de saúde em quatro semanas caso medidas mais restritivas não fossem impostas. Na ocasião, foram justificadas pelo aumento acentuado de todos os indicadores da doença causada pelo novo coronavírus: casos, leitos de UTI ocupados e mortes.

Deixe seu comentário