São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS

Virada Esportiva vai marcar reabertura do clube Tietê à população paulistana

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade
Fachada do Tietê em 2011 (Google Street View/Reprodução)

Fachada do Tietê em 2011; já foi demolida (Google Street View/Reprodução)

A 8ª edição da Virada Esportiva será também um marco para um dos locais mais importantes para o esporte de São Paulo. Em 20 de setembro, dia de abertura do evento anual, será o de reabertura do clube Tietê, agora como municipal e aberto à comunidade. A própria cerimônia de início da Virada Esportiva de 2014, segundo a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação, será no Tietê, que neste momento ainda passa por obras de readequação.

Por Arquivo Histórico do São Paulo FC: a Chácara da Floresta

Por Arquivo Histórico do São Paulo FC: a Chácara da Floresta

Aquele terreno, que tem em um lado a avenida Santos Dumont e em outro a marginal do Tietê, já no centro de São Paulo, foi fundamental no começo do século XX para as regatas e para o futebol. Lá ficava a Chácara da Floresta, estádio onde vários jogos importantes aconteceram e que foi primeira casa do São Paulo Futebol Clube de 1930 a 1935. O estádio da Ponte Grande, ali ao lado, foi o primeiro próprio do Corinthians a partir de 1918. Mas em 1926 o time comprou o terreno do Parque São Jorge e começou a mudança para lá.

Foram atletas do Clube de Regatas Tietê, que incorporou toda aquela área na metade dos anos 1930, duas das maiores esportistas brasileiras de todos os tempos: a nadadora Maria Lenk, que começou a nadar ali naquele rio, e a tenista Maria Esther Bueno, que frequentava o clube com os seus pais desde muito pequena e que lá pegou uma raquete pela primeira vez aos três anos. Ambas ainda são os maiores nomes femininos das respectivas modalidades no Brasil.

Área do Clube de Regatas Tietê antes das reformas feitas pela prefeitura (Google Maps)

Área do Clube de Regatas Tietê antes das reformas feitas pela prefeitura (Google Maps)

Fundando em 1907, o Clube de Regatas Tietê situava-se até novembro de 2012 em área concedida pela prefeitura por meio de contrato de comodato, mas a administração municipal optou em 2009 por não o renovar. O Tietê, segundo Lauro de Melo Carvalho, último presidente, em entrevista à rádio Jovem Pan AM, tinha dívidas de R$ 25 milhões.

A Prefeitura de São Paulo reforma a área, que será de utilização livre da população como local de esporte, lazer e cultura. Segundo reportagem de O Estado de S. Paulo, três secretarias compartilharão o uso do Centro Esportivo e de Lazer Tietê: de Esportes, Lazer e Recreação, do Verde e Meio Ambiente e de Cultura. A ideia é que haja até transmissão de jogos em um telão. Piscinas foram aterradas.

Já está marcada a primeira competição para 20 de setembro, sábado de Virada Esportiva, no Tietê: a etapa decisiva do Torneio SP 3×3 de basquete.

Deixe seu comentário


Enviando esse comentário estou ciente da política de privacidade deste SITE JORNALÍSTICO.