São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Corrida de rua 15/07/2020

Em crise, empresas organizadoras de corridas se unem e formam a Abraceo

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade

WRun-2019 (Daniel Werneck e Thiago Diz/Iguana Sports/Divulgação)

A paralisação dos eventos esportivos participativos, uma consequência da pandemia de covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus), fez os organizadores perceberem como estavam desunidos e como precisariam se unir para enfrentar a mais grave crise do mercado, com atletas receosos e empresas endividadas. Surgiu daí a Abraceo, a Associação Brasileira dos Organizadores de Corridas de Rua e Esportes Outdoor, que já tem sua primeira diretoria definida e se formalizará até o fim de 2020.

“A Abraceo nasce com um caráter nacional”, declarou Paulo Carelli, da empresa Iguana Sports, presidente da Abraceo, inspirada na associação de organizadores de Curitiba (PR), surgida em 2019 e da qual faz parte o vice-presidente Marcos Pinheiro, da Sportion.

“Este momento [de pausa] nos propiciou ter tempo para conversarmos e trabalharmos em prol de interesses coletivos”, afirmou Paulo Carelli. “O principal é termos uma representatividade, porque individualmente é mais difícil sermos ouvidos por federações, confederações e órgãos públicos.”

“É uma opinião geral que as federações e as confederações não têm correspondido às expectativas. São elas que regulamentam nosso esporte no Brasil. Sentimos que somos cobrados por um permit e que o retorno [muitas vezes] não é o esperado. Vamos fazer uma aproximação entre as partes. Temos condições de tornar as entidades mais colaborativas.”

Atletas concluem Circuito Caixa da Cidadania (Esportividade)

A troca de experiência dentro da Abraceo, segundo o presidente, será outra função da associação. “Existem dois desafios: organizar as empresas e os eventos. Temos tido oportunidade de discutir modelos de negócio. Vamos dividir conhecimento para fazer com que os eventos sejam nivelados por cima, ganhem qualidade e melhorem”, disse Paulo.

Empresas ineficientes desperdiçam tempo e dinheiro, o que pode deixá-las endividadas. Além disso, a falta de eficiência acarreta custos de operação maiores, que acabam sendo repassados aos atletas amadores, resultando em inscrições mais caras e em menos vendas. Melhores práticas de gestão podem, então, barateá-las.

Uma espécie de selo de qualidade, reconhecendo o bom trabalho feito, será fornecido pela Abraceo para empresas associadas merecedoras.

Conselhos regionais estão em formação; em um primeiro momento, a eleição dos dirigentes se dará por aclamação.

Leia também:
Evento-teste é proposto e pode acontecer em agosto em São Paulo

Deixe seu comentário