São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Corrida de rua 07/11/2016

‘Girl power’: mulheres são maioria na corrida Caminho da Paz pela 1ª vez

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade
Mulheres correspondem a mais de 60% dos atletas da Caminho da Paz-2016 (Esportividade)

Mulheres correspondem a mais de 60% dos atletas da Caminho da Paz-2016 (Esportividade)

O crescimento da participação feminina nas corridas é evidente e perceptível há algum tempo, mas a sétima edição da corrida e da caminhada do Caminho da Paz, simbólica por si só, foi ainda mais significativa porque representou a liderança das mulheres no ranking de participantes. Pela primeira vez, em 6 de novembro, elas foram maioria no evento anual da Iniciativa O Caminho de Abraão. Com folga. Representaram 60,19% dos 4.416 atletas que chegaram ao fim da prova utilizando o chip de cronometragem, o que correspondeu a um aumento de mais de 11 pontos percentuais de um ano para outro.

Não muito tempo atrás, em 2012, a participação feminina na Caminho da Paz era muito menor, 39,34% dos corredores ou caminhantes que cruzavam o pórtico de chegada. No primeiro ano, em 2009, somente 34,54% dos que chegaram ao fim eram mulheres.

O percurso de 2015 foi mantido em 2016: os atletas largaram na avenida República do Líbano, perto do Clube Atlético Monte Líbano, e, após 7 km, entraram no parque do Povo. Como a largada e a chegada eram em locais distintos, logo cedo ônibus os levaram do ponto final para o inicial. A Caminho da Paz é uma das poucas provas do ano em Sp em que os corredores não competem “em círculos”.

Houve um aumento do número de participantes e de palavras gigantes neste ano: seis mil inscrições foram liberadas e 20 palavras foram espalhadas por SP, inclusive por bairros periféricos. Artistas plásticos fizeram intervenções em seis delas. Nove foram os valores do projeto em 2016: amizade, amor, diversidade, ética, integração, paz, prosperidade, respeito e união.

Atletas posam para foto após Caminho da Paz no parque do Povo (Esportividade)

Atletas posam para foto após Caminho da Paz no parque do Povo (Esportividade)

As inscrições foram abertas em dois lotes (o segundo foi liberado por causa de boletos bancários não pagos do primeiro), ambos esgotados rapidamente. Custavam pouco menos de R$ 30, já que os organizadores puderam captar patrocínios por meio da Lei de Incentivo ao Esporte.

De acordo com Alexandre Chade, o projeto tende a chegar a outras cidades ainda nesta década. “A corrida poderia ser muito maior, mas tomamos muito cuidado com a qualidade dela. Nosso desafio é crescermos com as próprias pernas, pouco a pouco, de uma forma autossustentável. Um lugar para onde podemos ir é o Rio de Janeiro, o que deverá acontecer daqui a dois anos. Como temos apoio oficial da Organização das Nações Unidas (ONU), temos tido convites para irmos para Nova York, Londres, Paris, porque realmente é um evento contra o qual é difícil você ser. Mas como nosso fundador William Ury diz, é passo a passo”, disse o presidente da ONG no Brasil.

“Quando nós colocamos as palavras nas ruas, parece que a cidade as grita, lembrando as pessoas de praticar esses valores”, disse Chade, segundo o qual a convivência pacífica entre povos “é um dom do brasileiro”.

Outro dom das brasileiras é a corrida. Confira agora a participação feminina na história de Caminho da Paz/Corrida da Amizade. Os números aqui apresentados são os de pessoas inscritas que vão até o fim da prova.

2016:
2.658 mulheres
1.758 homens
Total: 4.416
60,19% de mulheres

2015:
1.640 mulheres
1.707 homens
Total: 3.347
48,99% de mulheres

2013:
1.712 mulheres
1.798 homens
Total: 3.510
48,77% de mulheres

2012:
720 mulheres
1.110 homens
Total: 1.830
39,34% de mulheres

2011:
669 mulheres
1.091 homens
Total: 1.760
38,01% de mulheres

2010:
749 mulheres
1.184 homens
Total: 1.933
38,74% de mulheres

2009:
853 mulheres
1.616 homens
Total: 2.469
34,54% de mulheres

Curva final da Caminho da Paz-2016 (Esportividade)

Curva final da Caminho da Paz-2016 (Esportividade)

Avaliação do Esportividade sobre Caminho da Paz-2016: apesar das dificuldades que diversos atletas tiveram para se inscrever na corrida, dos relatos de demora do traslado para o local da largada após as 6 horas e de a largada ter sido autorizada com 15 minutos de atraso para o pelotão geral, o evento mostrou-se mais uma vez muito necessário, principalmente por causa da mensagem passada e do percurso exclusivo. É uma prova que vale a pena ser disputada anualmente.

Leia também:
Mulheres batem recorde e devem ser maioria na São Silvestre até 2024

Comentários


  • Tatiana Evangelista disse:

    Corrida Top
    Adorei o percurso
    E a corrida foi por uma boa causa Paz

  • edson alves de matos disse:

    A organização da corrida deixou muito a desejar em relação a informação sobre o uso do estacionamento. Em nenhum momento foi informado sobre o pagamento para quem fizesse uso do estacionamento dentro do shopping JK, entendo que agiram de má fé, considerando que, no meu caso, que cheguei as 06:55h e ao efetuar o pagamento as 09:02h o ticket estava mencionando que dei entrada 01:21h, creio que isto tudo foi programado para desta forma, receberem uma boa quantia de dinheiro, considerando que muitos participantes fizeram o uso do estacionamento.
    Estou aqui reclamando não pelo valor mas sim, pela falta de informação que não havia de modo claro sobre o pagamento.
    Me desculpem, me senti lesado pelos organizadores.

  • Leila Weiss disse:

    Gostaria de ser avisada quando abrirem as inscrições dessa corrida em 2017. Obrigada!

  • Deixe seu comentário