São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS

Virada Esportiva-2016 de São Paulo ‘será adequada ao momento’: enxuta

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade
Virada Esportiva no Anhangabaú (José Cordeiro/SPTuris)

Virada Esportiva no Anhangabaú (José Cordeiro/SPTuris)

A Virada Esportiva da cidade de São Paulo de 2016 chega à décima edição nos dias 24 e 25 de setembro, um fim de semana antes do primeiro turno das eleições municipais. Em vez de a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação planejar uma “festa de arromba” para que se comemore a marca, adotará uma postura mais condizente com o momento econômico brasileiro e com o que constatou em anos anteriores. O novo secretário, José de Lorenzo Messina, disse com exclusividade ao guia Esportividade quais serão alguns dos locais da Virada-2016: Centro Esportivo Tietê, Centro de Esportes Radicais, Vale do Anhangabaú e Ceret.

“A Virada Esportiva continuará a existir neste ano, mas com dimensões mais adequadas ao momento econômico que vivemos. Não haverá a grandeza [de edições anteriores]”, afirmou. “Reestruturada não é a palavra certa: ela vai ser adequada ao momento. O edital de convocação será feito logo e os convênios serão assinados muito mais rapidamente.”

O fato de, na Virada Esportiva, o paulistano poder praticar esporte durante a madrugada era, até a nona edição, um dos “cartões de visita” do maior evento esportivo anual promovido pela secretaria. Porém, segundo Messina, havia um período em que acontecia uma procura baixíssima pelas atrações.

O secretário declarou que, em 2016, a programação de atividades levará isso em consideração, já que “o esporte acontece [na maior parte das vezes] de manhã”. “Percebemos que a Virada Esportiva na madrugada era muito pouco frequentada – com algumas exceções de modalidades. Mesmo naquelas que tinham a preferência de serem jogadas de madrugada, como basquete 3×3, às 4h [as atividades] terminavam. Das 4h às 8h ou 9h pagávamos para não haver ninguém praticando o esporte. Contextualizamos a Virada-16 para as situações econômica e prática e a faremos com mais equilíbrio entre oferta e demanda”, disse.

No ano passado, de acordo com o Celso Jatene, secretário anterior, a prefeitura gastou R$ 5,1 milhões com a Virada Esportiva. “Muito menos que a Virada de 2012, que não foi feita por nós e custou mais de R$ 7 milhões. E se Deus quiser nós vamos conseguir enxugar mais em 2016. Dá para fazermos o melhor [com o orçamento] cada vez mais enxuto”, afirmou Jatene em outubro de 2015.

Nesta semana o guia Esportividade publica reportagens com as novidades contadas pelo secretário José de Lorenzo Messina na entrevista. Confira o calendário dos textos:

3.mai: Circuito Popular de corrida
4.mai: Legado olímpico em São Paulo
5.mai: Como será a Virada Esportiva-16
6.mai: Secretaria de agora ao fim do ano

Comentários


  • taina santana disse:

    Só queria deixar uma observação bem importante.
    Ano passado (2015) combinaram a virada em setembro, mas por conta de motivos do clima mudaram para outubro no MESMO DIA DO ENEM. Que fiquei muito chateada .

    obrigada pela atenção e eu estou muitooo ansiosa para ir na virada deste ano! Sou muito fã deste evento.

  • SUSILAINE AP disse:

    A virada Esportiva deveria ser um evento mais frequente e amplamente apoiado por empresas privadas e pelo Governo. Uma vez que possibilita ocupação dos jovens em atividades que irão propiciar benefícios em todos os aspectos, e principalmente exercer influência sobre sua vida em sociedade. E isto é percebido a curto, médio e longo prazo principalmente no combate a marginalização.
    Mas, infelizmente o que proporciona cultura a população além de não ser tão divulgado, é pouco praticado.
    Estamos a poucos dias da Virada Esportiva e nem se ouve falar do evento, a não ser quem já conheça e procure saber.
    Lamentável!

  • Deixe seu comentário