São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Corrida de rua 26/01/2017

Yescom ‘compra briga’ e encabeça uma longa campanha ‘antipipoca’

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade
São Silvestre-2016: muita gente sem número de peito correndo como "pipoca" (Esportividade)

São Silvestre-2016: muita gente sem número de peito correndo como “pipoca” (Esportividade)

Já sabendo que vai “comprar briga”, a Yescom, uma das maiores organizadoras de corridas de rua do Brasil, vai tentar coibir os “pipocas”, atletas que correm sem estarem inscritos em uma prova, já a partir da Meia Maratona Internacional de São Paulo de 19 de fevereiro de 2017. A empresa, na verdade, tomou a iniciativa de se tornar a primeira grande do ramo a fazer uma campanha em redes sociais contra esses “pipocas” e de conscientização sobre como eles afetam negativamente um evento. Nas próximas semanas vai se reunir com outras empresas e, posteriormente, com o poder público para eles buscarem juntos soluções; do primeiro encontro a imprensa especializada foi a convidada.

O que houve na Corrida de São Silvestre-2016, em que é uma prestadora de serviço, foi a “gota d’água”, e foi justamente água que faltou para quem corria no pelotão traseiro. A Yescom atribuiu aos não inscritos – que, segundo ela, representavam cerca de 30% do total – grande parte da responsabilidade pelo que houve, mas disse ainda não ter encontrado a solução de abastecimento de água ideal para seus maiores eventos – como você lê em Maratona de SP: falta água, e atletas passam por apuros; ‘heróis’ os salvam, não foi a primeira falta de água em uma prova dela. Depois da São Silvestre, foram tiradas fotos de caixas de água ainda fechadas, dando pistas de uma falha de distribuição.

Na Meia da Yescom, já na praça Charles Miller, diante do estádio do Pacaembu, os atletas encontrarão novidades: somente possuidores de número de peito poderão acessar a área de largada. A ideia inicial é que a equipe de apoio use uma camiseta com o slogan da campanha “antipipoca”. Nos postos de água, uma mensagem como “água somente para quem tem número de peito” será visível. Antes da chegada será feita uma triagem inicial para impedir que os não inscritos entrem no local, e os corredores passarão por uma triagem final na retirada de medalha, água e lanche.

A campanha “antipipoca” circulará em redes sociais da Yescom e aparecerá até mesmo em um panfleto que será entregue com o kit dos atletas da Meia-2017.

De acordo com a Yescom, a presença de “pipocas” encarece as inscrições de uma corrida, uma vez que o evento acaba por ser maior do que precisaria ser – com eles é imprevisível saber quantas pessoas aparecerão. A companhia argumentou que, embora as ruas sejam públicas, quando paga taxas tem o direito de utilizá-las e que não são poucos os procedimentos legais exigidos para a realização uma prova.

A empresa disse ter conhecimento de casos de “pipoca” mais sérios, como duplicação (ou multiplicação) de números de peito, tentativas de obtenção de medalha exibindo o número de peito de outro evento qualquer e utilização de inscrição de um idoso terceiro para ter 50% de desconto. Afirmou já tomar as medidas legais cabíveis contra essas pessoas.

A Yescom espera que a campanha sirva para nos próximos cinco anos alterar um cenário que, de acordo com ela, vai piorar se nada for feito, podendo até ter como resultado acidentes graves com participantes.

Leia também:
Mulheres batem recorde na São Silvestre-2016; falta água na corrida
Você em ação: encontre e baixe suas fotos na São Silvestre de 2016

Comentários


  • Andrea disse:

    Baixe o preço das inscrições que não acontecerá isto. YESCON, precisa aprender com outras empresas. Se depender de mim, NUNCA mais receberá um centavo meu. Acordar GALVÃO BUENO.

    • Jaber disse:

      Hahaha tem que ser mto acéfalo para acreditar que a Yescom é do Galvão Bueno. O mais engraçado são pessoas utilizado dos mais variados artifícios para ser corrupto. Depois reclamam dos políticos.

    • Lourdes Sipriano disse:

      Só o que eu não gosto dos pipoqueiros, é que eles querem largar na frente, tomando nosso espaço. Conheço muitos que fazem isso!

  • Ricardo moneta dante disse:

    Finalmente alguém tomando uma atitude para quem paga as inscrições
    Na última são silvestre, tava cheio de pipoca roubando água de quem tava inscrito

  • Douglas disse:

    A culpa é da Yescom….não dos pipocas. Ontem, deia 25/01, na prova do Carrefour no Ibirapuera não faltou água (gelada!) para nenhum corredor (pipoca ou inscrito) e até uma bandeja com frutas (de excelente qualidade!) foi distribuída a todos os participantes! Impossível acabar com pipocas. Se não largarem junto com os demais corredores, largarão logo em frente….E negar água a um corredor não existe! Um corredor inscrito vendo um pipoca com sede, não vai lhe dar um pouco de água?

  • Douglas disse:

    E mais: no pós-prova sempre vejo os “stafs”, seguranças (policiais, bombeiros, médicos) e pessoal de apoio pegar medalhas junto aos organizadores. Sem contar aqueles que saem carregados de frutas e copos de água.
    São Silvestre a R$160,00 e sem pipocas? Tô pagando pra ver!
    Quer diminuir pipocas? É simples: só criar kits simples (medalha + água (é o que interessa para o pipoca)), kits intermediários (medalha, água e camisa) e kits completos (medalha, água, camisa, boné, sacola, etc).

  • Ricardo disse:

    Engraçado culpar os pipocas . Toda vez falta algo no kit . Na São Silvestre né isotônico teve . Yescom é muito desorganizado. Vai acabar inflamado mais a situação. .

  • Luiz Fernando Pacheco disse:

    Como sempre o pessoal da Esportividade nos dando uma ótima notícia em primeira mão, parabéns! Que essa campanha de conscientização e combate aos “pipocas” seja benéfica e efetiva para todos os corredores que se inscrevem honestamente e tentam usufruir de uma estrutura que é dilapidada pelos “bandidos”… E que as demais organizadoras tomem atitudes parecidas com essa da Yescom (participei do Troféu Cidade de SP ontem, parecia uma mini São Silvestre, com muitos “pipocas” – inclusive treinadores de assessorias com seus alunos também de “pipocas” tumultuando no percurso – escassez e disputa por água, tumulto e morosidade na largada pelo excesso de pessoas não inscritas, etc…).
    Mas que as organizadoras não parem nessa medida e se acomodem em apenas culpar os “pipocas” por todos os problemas que acontecem nas corridas! Realizar um horário de largada mais cedo (São Silvestre às 09:00 horas em dezembro é dose!); largada por ritmo e em baias pré-definidas (como a O2/Ativo tenta fazer há algum tempo); efetivo controle de acesso dos inscritos por um staff mais profissional e educado; correta localização e efetiva distribuição da água em quantidade adequada (e com isotônico em corridas mais longas!); kits mais condizentes com os valores atualmente cobrados (camiseta/medalha); inscrições com os descontos/benefícios legais garantidos à quem de direito… ou seja, a conscientização deve partir de todos (organizadoras e corredores) para tentarmos criar um ambiente mais respeitoso, benéfico e integrado nas corridas de rua do país pois, afinal, se as organizadoras não realizarem mais eventos, o que restará a nós corredores que amamos esse esporte e adoramos uma disputa (e uma medalha)?
    Abraços e boas corridas a todos!

  • Edy Alves Lima disse:

    Os pipocas contribuiem para a alegria no evento, e não faltou água, não foi distribuído com eficiência !
    Deveriam e organizar melhor, abrir maior número de inscrição, assim os pipocas pagariam e transforma o número de pipocas em participantes !
    Tem mais de 100 mil entre pagantes e pipocas, que tal baixar valor das inscrições, aumentar número corredores .

  • Aretha Gasparini disse:

    Quer reduzir o número de pipocas é só abaixar o preço das corridas que só aumenta e os kits e apoio ao atleta só tem piorado.

  • Rose Beraldo disse:

    É muito fácil jogar a culpa nos outros para justificar a incompetência né.
    Sem mais.

  • Josué Cordeiro disse:

    Muito simples de acabar com a falsificação do número no peito. Imprimir a data do evento bem visível. Assim quem entrega as medalhas, vai verificar a autenticidade.

  • Paulo neto disse:

    Vergonha dessa YESCOM…Eu Cheguei 7:30 larguei no setor verde e no primeiro posto de hidratação não havia água foi falta de organização ..Não concordo com os pipocas de pegarem a água do evento pois não pagaram pra ter acesso a hidratação , uma coisa que pode vir de casa numa mochila …Agora a organização colocar culpa nos pipocas foi de ferrar ..Minha primeira sao silvestre foi uma decepção enquanto a Yescom for a organizadora nunca mais …O pior que no calor dá empolgação me inscrevi na maratona, já entrei em contato com eles pra cancelar e nem email eles respondem.

    • Diceia Menezes disse:

      Ridicula postura da yescom. Depois da casa arrombada acordei !!! Estão falando isso porque ficou feio e o boicote vai ser forte. Yescom não verá mais meu rico dinheirinho. Na realidade o que aconteceu nao foi excesso de corredores e sim uma falha enorme deles distribuirem as caixas de agua

  • Enzo Costa disse:

    DESCULPA ESFARRAPADA. OLGA KOS FEZ UMA BELA CORRIDA COM UM KIT POR 20 REAIS.
    YESCOM NUNCA MAIS VERÁ MEU DINHEIRO
    LOGO LOGO VAI COBRAR 200 NUMA INSCRIÇÃO, PARA ASSIM JUSTIFICAR UM PESSOAL STAFF MAIS EDUCADO, MAIS BAIAS, MAIS CONTROLE DE ENTRADA….MAS NUNCA VÃO FAZER O QUE PROMETE, POIS VENDER UM KIT NA SÃO SILVESTRE 2016, E ENTREGARAM OUTRO, OU SEJAM, FARÃO A MESMA COISA NAS DEMAIS “DESORGANIZAÇÃO DE PROVAS”
    FORA YESCOM
    YESCOM LIXO
    VAI ROUBAR OUTRO YESCOM

    BANDIDOS DISFARÇADOS DE ORGANIZADORES!!!

    • Esportividade disse:

      Olá, Enzo! Sobre a corrida do Olga Kos, trata-se de evento com aval do Ministério do Esporte e, então, faz uso da Lei de Incentivo ao Esporte. Esta reportagem vai deixar tudo mais claro: http://www.esportividade.com.br/fique-atento-corrida-barata-em-geral-usa-indiretamente-dinheiro-publico/. Obrigado!

      • Enzo Costa disse:

        ESTES PATROCINADORES NÃO DÃO SUPORTE ALGUM ?? E AINDA TEVE OS R$ 160,00 DE CADA PARTICIPANTE;
        A supervisão técnica é da CBAt, FPA e AIMS, e a organização técnica é da Yescom. O patrocínio é de Caixa, Rexona, Netshoes, Coca-Cola, Sesi e Fila, com apoio de Montevérgine, Carbup e Café Três Corações.

        • Esportividade disse:

          Sim, Enzo, dão suporte, mas uma corrida incentivada é justamente feita para ser barata. Senão perde o sentido. A São Silvestre não pode ser comparada ao Circuito da Longevidade, por exemplo. São dois eventos bem distintos. Obrigado!

          • Enzo Costa disse:

            Entendo a colocação, mas o fato verifico foi ; “VENDERAM UMA CAMISETA, E ENTREGARAM OUTRA, DERAM PRODUTOS FORA DA VALIDADE PARA OS PARTICIPANTES, NO FINAL DA PROVA DERAM UM TORRONE E UMA BARRA DE CEREAL, SEM FALAR NA ÁGUA” ESTE É O PONTO VEXATÓRIO, PODEM COBRAR QUANTO QUISER, SE INSCREVE QUER QUER, MAS O QUE VENDEM, DEVE ENTREGAR. 😉

  • Vera disse:

    Como tem gente desinformada. A YESCON não pertence ao Galvão Bueno e sim ao Eike Batista. A constatação está em sua razão social é YeXcon.
    Vocês lembram quando o Eike tocou a buzina de largada na São Silvestre de 2011? Ele tinha acabado de comprar a empresa e seu plano era trabalhar nos jogos Rio 2016.

  • Marcelo Rodrigues disse:

    Agora o pipoca é vilão de tudo, culpado são estes verdadeiros bandidos que roubam 160 reais , para um produto de baixissima qualidade, nunca mais pago, arrumaram mais um pipoca para correr.

  • cesar augusto giometti disse:

    Não sou corredor, nem pipoca, mas não vejo grandes atrações nesses eventos, porém tirar o povo que quer participar e não quer pagar(ou não pode) também é demais, pois o espaço da rua é público não é?

    • Charles Nisz disse:

      O espaço da rua é público? São Paulo tem 50 mil ruas e o pipoca pode correr em qualquer lugar. Para quê correr atrapalhando quem se inscreveu na prova?

      • Jonny santos disse:

        Charles Nisz, vc só fala isso pq tem dinheiro.
        E se a pessoa sempre corre ali, nao pode correr no dia da corrida.
        #respeitoaospipocas
        #pipoqueiro
        #soupipoca

  • Ana Maria da Silva Faustino disse:

    Participei pela quarta vez da São Silvestre e acho que faltou organização nos postos de hidratação. No final do evento, vi caixas fechadas de água e bacias repletas de copos de água fresca, gelada, na temperatura ambiente, enfim para todos os gostos. O que faltou durante a corrida estava em caixa fechada ou nas bacias, à disposição de quem quisesse, tanto é verdade que muita gente enchia sacolas plásticas de copos. Creio que foi desorganização mesmo.

  • Fernando disse:

    Tirar os pipocas é utopia!
    Darei um exemplo de prova bem organizada com ótimo kit e com quase 20 mil inscritos e com um número de pipoca mínimo! OLGA KOS! 26 reais com uma camiseta linda e de ótima qualidade, com uma medalha com as mesmas características e uma estrutura exemplar….É possível ou não realizar uma boa prova cobaixo custo. Para não haver mais pipocas é só engradar todo o percurso e colocar seguranças. Pois se eu quiser correr onde tenha uma prova correrei e pode falar o que quiser, desde que eu não pegue a medalha de quem pagou, não retire o kit no final dá prova, sou livre pra ir e vir em lugares públicos. E não adianta vir com aquela conversa de que deixou de ser público assim que se mobilizou CET etc… A realidade é uma só, parem de explorar e os pipocas diminuirão!

  • Antonio Marcos Almeida Santos disse:

    Por falar em SS aquele kit pós prova foi uma vergonha. Nem um isotônico tinha pra os atletas.

  • Antonio Marcos Almeida Santos disse:

    A yescom tem que aprender a organizar um grande evento com a IguanaSport.

  • Gilmar disse:

    Isso é uma tremenda sacanagem que a yescon está querendo fazer , diante de tantas falhas que vem fazendo nós eventos agora que colocar os pipocas contra os corredores .
    Se fosse só a falha de 2016 de ter faltado água na SS está bom , em 2014 na maratona de SP quase matou os corredores de cede , depois do km 30 faltou água muitos corredores passaram mau por falta de água , sem conta com outras tantas falhas nós kit das corridas cobrando um valor absurdo oferecendo camisas de péssima qualidade , 2015 na maratona teve gente que correu maratona e pegou medalha dos 24 km falha essas que eles não falam .
    Fiz a meia maratona do Rio de Janeiro em 2014 com preço super caro kit lixo na primeira lavada dá camisa ficou toda manchada , a camisa do meu pai ficou manchada durante a corrida um absurdo .
    Sem falar em algumas edições dá SS que as camisas sempre camisa branca uns 3 anos consecutivos , 2 anos camisa laranja acho que pegaram o resto do tecido para fazer a camisa do ano seguinte isso a yescon na fala .
    Nesta quarta feira na corrida aniversário de SP novamente água quente , um kit valor de 100 reais uma camisa meia boca yescon vc precisa rever alguns problemas que vcs estão cometendo ao longo dos tempos .
    Não estou defendendo a questão dos pipocas , só acho que isso tem outros jeito de ser revisto , hj estou desempregado não vou deixar de correr por causa de vcs , não faço nenhuma fraude com número de peito , nem roubo nada de ninguém , sem contar que a rua é pública , sempre que posso vou ajudar um amigo que está iniciando nas corridas durante o percurso .
    Quando vcs melhorar as falhas graves que vcs estão cometendo , vcs pode fala sobre os pipocas .

  • Neusa Kobori disse:

    Além do número tem que verificar se a pessoa está com o chip. Se na entrada colocasse taoete leitor por chip resolveria parcialmente. Quanto à inscrição com identidade de idosos, fazer número com.cores diferentes e separar em outra área inibiria o fraude.

  • Erica disse:

    Acho um absurdo o valor dessas corridas, R$ 160,00 por uma corrida longa, no calor do último dia do ano, só com a camiseta e medalha, é um roubo, água seria o minimo, e quanto custa um copinho de água, pelo valor do kit cada pessoa pagou quase 100 copinhos pra pipoca ou não, participei dá corrida dos engenheiros em santo André agora em 2016, por 70,00 ganhei camiseta, shorts saia, viseira é medalha, tinha água e fruta, por um valor justo!!!! Corri a são silvestre 2016 como pipoca e não me arrependo, infelizmente só tem tradição, foi uma péssima corrida em questão de organização

  • Rodrigo Sena disse:

    A rua é de todos, quando não estou inscrito levo minha água pois não me sinto bem pegar algo que não paguei, apesar de pensar que essas empresas, mesmo tendo muitos gastos para organizarem suas provas, ganham muito dinheiro sim (se não, nao continuariam com o negócio) e um copo d’água, para quem não pode ou não quer pagar por motivos diversos deveria ser gratuito à todos como CONTRAPARTIDA pela utilização de via PÚBLICA para lucro PRIVADO. Eu escolho se quero ou não pagar para correr em qualquer via publica do meu país e se alguém me constranger por correr sem número de peito vai ter que se entender com a justiça. Certamente vai sai mais caro que um copo d’água.

  • Sabrina disse:

    Eles afirmam que são os pipocas que encarecem as corridas. Mas duvido que, se este problema for resolvido, vão abaixar o valor das inscrições.
    Pra mim isto é só uma manipulação pra diminuir custos e aumentar os lucros. Eu não compro esta briga.

  • edson da silva filho disse:

    Corremos td ano, com a crise e valor posto, não deu pra pagar, fui na pipoca, o que pra vcs, é comércio, e arrecadação absurda, para nós.a São Silvestre, é uma confraternização de todos corredores amadores, do Brasil. Pq se canalizar, não temos vantagens uma, medalha, imã água. Elite é festa na globo, para o publico somos nós a festa , que vem a traz, .
    E mais socorro dois corredores com inscrição, parei de correr na brigadeiro pra ajudar pq seus voluntários invés de ajudar, estava pedindo pra sair e arrastava dizendo que ia atrapalhar os de traz, si eu digo o problema é os pipocas. Isto entre outras coisa outro batendo boca com um Paraguai, com inscrição , falando aqui não gringo aqui é Brasil, então é os pipocas,e mais , etc…
    Valeu pq acima td somos pessoas normais, e ladrão são que cobra os valores da inscrição, alta. Eu acho que pagamos ate o Show da virada na paulista, é isto,de
    C/c para jornais locais equipe, fe várias corridas

  • Diego Ruvrire disse:

    ISSO EH UMA VERGONHA. COBRAM 130,00
    10,00 CAMISA
    05,00 AGUA(QUE FALTOU)
    15,00 CHIP
    05,00 PELO ISOTONICO
    50,00 PRA GLOBO
    30,00 PRA CAMPANHA POLITICA DO DORIA
    20,00 PRA TINTA CINZA DO DORIA

  • Milton Batista da Silva disse:

    Nós corredores deveríamos sim é ter vergonha na cara e boicotar essas corridas com preços abusivos e kits que não valem nem a metade do que cobram. Isso virou um comércio e não mais um incentivo à pratica de esportes. O correto é boicotar, ou seja , no dia dessas provas ao invés de ser “pipoca” vamos correr na região oposta. Assim quem sabe eles sentem no bolso que esse “negócio” deixará de ser lucrativo.

  • TIAGO R. SOUZA disse:

    uma corrida com 1000 inscrito a 150,00 o valor total da em media 150 mil os pipocas só pega água que em media custa 0,30, deveria abaixa o preço das inscrição hoje organizar uma corrida da muito dinheiro para os organizadores a corrida sem os pipocas não tem graça atire a primeira pedra quem nunca correu na pipoca n se nega um copo de água a ninguém sem fala que a maioria das corrida de 10 km só tem 3 pontos de água no máximo na minha opinião os organizadores só quer enche os bolso de dinheiro estão esquecendo de o esporte de corrida de rua nasceu para os menos favorecido que não tem condições de paga uma academia

  • luis disse:

    Essa é uma questão muito difícil. Acredito que a corrida de rua é um dos esportes, se não o esporte, mais social, comunitário que temos, pois independente da classe econômica todos podem praticar corrida. Vale lembrar que até um corredor de elite passou por pelos estágios de ” amadorismo” que todos passam. Então todos os corredores estão no mesmo patamar, tanto os que se inscrevem na prova quanto os “pipocas”, todos buscam melhora na sua qualidade de vida, melhora no desempenho, satisfação pessoal, a única diferença é que o pipoca não ganha o kit. Acredito que a melhor maneira de sanar essa questão não é a proibição do “pipoca”, mas sim uma avaliação no valor das inscrições. Nesse ponto creio que deveria existir um incentivo maior governamental para a prática da corrida de rua, com o objetivo da melhora da qualidade de vida. Diminuindo o custo da corrida por incentivo governamental também.

  • Luiz Fernando Pacheco disse:

    Em pleno momento histórico de mudanças de padrões, conceitos e comportamentos, nos quais vamos às ruas e cobramos figuras públicas e políticas clamando por mais honestidade, ética, moral, cumprimento de normas e etc, fiquei impressionado como algumas pessoas utilizam as mais variadas desculpas e argumentos falaciosos (numa retórica facilmente rebatida) para justificarem atitudes desonestas, apaziguarem suas consciências e ainda inverterem a situação para apenas culpar o “outro” eximindo-se de qualquer responsabilidade… Não sou um paladino da justiça, não sou dono da razão, nem pretendo recriminar/julgar ninguém, mas seguem alguns pontos apenas para reflexão e debate (e um pouco de bom senso):
    1 – a rua é publica: realmente é pública, mas existem centenas de outras ruas, avenidas e parques que podem ser utilizados para corrida, na mesma hora e dia em que algumas ruas estão sendo utilizadas para eventos organizados para os inscritos; aliás, a rua é pública, mas não vejo grupo de “pipocas” correndo na marginal Pinheiros ou em qualquer avenida em plena hora do rush para justificar esse argumento capcioso da “rua é pública”;
    2 – as inscrições são caras: realmente alguns eventos possuem preços exorbitantes e não tem um ótimo custo/benefício, mas acredito que ainda vivemos numa sociedade capitalista… A maioria das organizadoras pretende sim o lucro (nem todas são beneficentes/de caridade), pois esse é o negócio delas… se as pessoas querem e se inscrevem, ai é a lei da oferta e da procura. Aliás, ir de “pipoca” para protestar contra o preço é um tiro no pé, pois as empresas têm que compensar o número extra dos não inscritos e acabam onerando os regularmente inscritos (que passam pelo papel de trouxas!). Acredito que ninguém que não seja do ramo tenha muita noção da logística (não adianta abrir prova com 100 mil vagas e não ter rua e estrutura médica para isso), valores, entraves e dificuldades em se realizar uma prova de rua… Ademais, existem provas agraciadas com incentivos legais, com valores de inscrição bem reduzidos (e outras até mesmo populares e gratuitas!)… acho que nenhuma organizadora obriga/ameaça ninguém a se inscrever nas suas provas pagas e/ou caras!!!; Por fim, o que mais fico indignado é ver pessoas correndo sem inscrição, mas com tênis (caro), GPS (caro), camisas de assessorias/equipes, ou seja, esses são os verdadeiros “bandidos”, pois o preço da inscrição não seria empecilho algum (realmente existem pessoas com condição econômica frágil, e ainda mais em época de crise, temos que administrar nossos gastos com itens necessários e de primeira necessidade, sendo a corrida um esporte/lazer apenas…);
    3 – os kits são ruins: normalmente os kits são apresentados quando da abertura das inscrições, com a pessoa já sabendo o que vai adquirir. Novamente, ninguém é obrigado a se inscrever em prova ruim ou com kits ruins… Aliás, acho os kits da Yescom péssimos (tanto pré, quanto pós prova), e especialmente as camisas (feias e de qualidade duvidável). Prefiro as da Iguana e da Ativo… mas quando quero me inscrever e participar de uma São Silvestre ou da Volta da Pampulha, infelizmente essa é a realidade (novamente a lei da oferta/procura está em jogo), cabendo a nós reclamarmos com as organizadoras e nos sites especializados após as provas, para tentar uma mudança ou feedback;
    4 – não pego água na prova: mais uma falácia, pois gostaria muito que alguém me demostrasse como correr com mochila com dezenas de copos de água (gelada?) para não pegar nada na prova… mesmo usando cinto ou mochila de hidratação acho muito difícil usar esse artifício em provas longas ou no calor, e acredito que um número bem pequeno de “pipocas” façam isso usando do bom senso…
    5 – corro e não atrapalho ninguém: atrapalha sim, a largada fica caótica, as ruas ficam mais cheias do que os organizadores previram; nas provas maiores as pessoas se empurram e fica quase impossível correr (mais um trote); fora que se algum “pipoca” passar mal terá que ser atendimento do mesmo jeito pela equipe médica (e às vezes com perigo de tirar o atendimento de alguém inscrito que esteja precisando!); fora a questão das assessorias que levam dezenas de alunos (pipocas), fazendo aquela “festa”, com paredões, empurra e desrespeito com os demais corredores individuais (quando as empresas pararem de organizar provas quero ver o que essas assessorias desonestas vão oferecer aos seus alunos);
    6 – os “pipocas” dão o charme / fazem a fama da prova: acredito exatamente o contrário, quanto mais pipocas menor a qualidade e a visibilidade da prova. Aliás, só pesquisar as provas lá fora, ver as fotos das largadas com uma quantidade absurda de inscritos! (maior que qualquer prova no Brasil… aliás, o número de brasileiros indo para fora para correr uma excelente prova só tem aumentado, e nem precisamos ir longe, aqui na América do Sul mesmo tem provas ótimas…), sendo que algumas Majors fazem sorteio ou determinam índice para as inscrições, tamanho o número de pessoas interessadas a se inscreverem nessas provas, pois lá fora, bem ou mal, as coisas são muito bem organizadas, as pessoas são mais conscientes, e os “bandidos” são tratados dessa forma mesmo (até vexatória), não podendo se aproximar das baias de largada sem número de peito… e a maioria das pessoas respeitam isso;
    7 – corro para protestar contra a Globo, Galvão, políticos, organizadoras capitalistas malévolas, etc: bom, esses argumentos nem precisam ser rebatidos, não é verdade?
    Enfim, acredito que poucos lerão até o fim, mas antes dos xingamentos à minha pessoa, deixo claro que não defendo nenhuma organizadora, como disse acho os kits da Yescom péssimos, muitas provas são horrorosas (dessas nem participo depois da primeira vez…), algumas organizadoras são sem-vergonha e agem de má fé em alguns eventos (aí são cabíveis as medidas jurídicas necessárias), mas tenho a utopia de que a atitude da mudança parta de todos (inclusive de nós mesmos… eu mesmo já corri de pipoca no início, mas depois tive a consciência do munda das corridas de rua e tento sempre me inscrever regularmente nas provas e não, não sou rico, apenas me programo para o ano inteiro), porém sei que é um sonho, pois temos a cômoda (e equivocada) atitude de sempre culpar os outros pelos problemas que aparecem na vida (o vizinho, o desconhecido na rua ou no metrô, o motorista do outro carro, o político de Brasília e, nesse caso, as organizadoras…) e a mudança dificilmente parte de nós.

  • Gilson disse:

    Melhorem o planejamento acima de tudo e deixem de usar os pipocas como desculpa para a má gestão em suas provas.
    Não sou contra os pipocas, sou contra que eles utilizem a estrutura das provas, querem correr? CORRAM mas não esqueçam de levar sua água.

  • Sérgio disse:

    Mais uma vez o capitalismo excluindo pessoas com seus discursos, distorcendo sua falta de organização é mais fácil achar alguém para colocar culpa dos seus atosa final temos um nome para zelar ou seja pratico, chega de tanta hipocrisia

    • Ila disse:

      Eu li seu texto muito bom. Fiz um reflexivo também no site da ativo quando tentaram jogar a culpa da água nos pipocas. Mas vamos ser francos que na SS foi incompetência pura e falta de vontade de fazer melhor (como sempre). E como vc disse a Yescom é ruim não é de hoje. Por outro lado este mimimimi de exclusão social me cansa. Eu trabalho na minha família todo mundo corre (marido, pai, filho) e realmente não dá para fazer inscrição em todas que gostaríamos então treinamos na rua. Tem realmente muito local disponível #desculpaesfarrapada

  • Eliane Santana disse:

    MANDEI ESSA MENSAGEM PARA ESSE SENHOR QUE FEZ A MATÉRIA CHAMANDO OS PIPOCAS DE BANDIDOS
    Olá Sr. Harry Thomas Jr, gostaria de saber o senhor corre desde 1994 e nunca correu de pipoca? cada administrador de provas deveriam colocar pagando é claro mais pessoas para trabalhar nas corridas, Assim não distribuiriam medalhas,água. teriam mais controles de tudo ou melhor alugassem lugar particular para as provas. Mas é claro quem quer gastar dinheiro o lucro é tão maravilhoso. Rua é publica ninguém pode proibir nada. Achei péssimo chamar de BANDIDO isso é uma ofensa muito grande me senti sim ofendida, pago sim pelas corridas fui uma fez até hoje de pipoca e irei quantas vezes eu quiser.
    Bandido é muito forte chamar atletas que só procuram saúde é claro todo lugar tem pessoas desprezíveis até no jornalismo fica a dica . Mas a maioria das pessoas são maravilhosas e eu acredito no ser humano.
    Será que o senhor nunca foi de pipoca porque paga e quando não paga deve ganhar como cortesia. Assim nunca irá mesmo de pipoca.

    • Renato disse:

      Mas precisa correr bem no dia do evento? Não dá pra ser em outro lugar? Por que tem que atrapalhar quem se inscreveu e pagou tudo os conformes? Não dá pra treinar junto com seus amigos em outra lugar?

  • Andarilho disse:

    Nao me considero pipoca, vou nas corridas pra caminhar e nao pago. porem nao pego agua nem medalha. vou pela diversao msm. gosto de andar com a galera mais jovem do meu predio. agora pipoca nao é bandido . isso é ofensivo

  • Deixe seu comentário