São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Corrida de rua 24/06/2021

Copos de plástico da 95ª Corrida de São Silvestre tornam-se lixeiras escolares

Por Esportividade

Penúltimo posto de água da São Silvestre-2018 (Esportividade)

Sabe aqueles milhares de copinhos de plástico de água que foram ao chão na 95ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre, realizada em 31 de dezembro de 2019? Foram selecionados e transformados em resina plástica pós-consumo, utilizada para a produção de 1.800 lixeiras – separadas em coletores para resíduos recicláveis e orgânicos. Começaram a ser usadas pelos estudantes em maio de 2021, mais de um ano e quatro meses após o evento.

As lixeiras foram entregues a escolas públicas de cidades como São Carlos e Jaguariúna, interior de São Paulo. Essa ação socioambiental foi resultado de uma parceria entre o Movimento Plástico Transforma, a Fundação Cásper Líbero e a Yescom, ambas responsáveis pela corrida de rua mais tradicional do Brasil. As lixeiras foram produzidas pela empresa Jaguar Plásticos.

Lixeiras produzidas a partir de copos de plástico da São Silvestre (Divulgação)

A entrega às 46 escolas contempladas (de sete municípios) precisou ser adiada por causa da pandemia da covid-19, que paralisou as atividades escolares e impactou a produção. Foi possível transformar os copos em 900 kits com duas lixeiras de 93 litros cada uma – uma para materiais recicláveis e outra para lixo orgânico.

Leia também:
96ª Corrida de São Silvestre é, enfim, adiada para 31 de dezembro de 2021

Deixe seu comentário