São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Corrida de rua 06/01/2021

Mercado da corrida ‘trava’ sem provas adiadas definidas e vacinação em curso

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade

Corredora subindo a Brigadeiro durante São Silvestre (Esportividade)

O mercado da corrida de rua no Brasil terá mais dias complicadíssimos em 2021 enquanto não houver definições sobre os eventos que estavam previstos para 2020 e enquanto vacinas contra a covid-19 não estiverem sendo amplamente distribuídas no país. Essa é a conclusão a que se chega ao analisar os resultados da pesquisa com leitores do guia Esportividade que ficou disponível de 29 de dezembro de 2020 a 5 de janeiro de 2021.

O número mais acachapante é o de pessoas que deram resposta negativa quando questionadas se “você se inscreveria em mais provas sem saber ao certo as datas das suas corridas adiadas”: 85,2%E 28,2% dos atletas disseram ter quatro ou mais provas adiadas; 12,3%, três; 21,9%, duas; 15,5%, uma; e 21,9%, nenhuma.

A pergunta sobre a vacinação também gerou um dado preocupante para as empresas organizadoras: 58,1% dos corredores afirmaram que só voltarão a participar de provas presenciais “quando eu e a maior parte da população brasileira estivermos imunizados“; 16,1% topariam correr se estivessem vacinados – mesmo ainda sem a maioria dos brasileiros estar.

Apenas cerca de 25% das pessoas, então, retornariam às corridas já nos próximos meses: 10,3% aceitariam participar delas quando a vacinação começasse, isto é, em breve; 14,8% disseram que estariam seguras mesmo sem vacina.

Ficou evidente a perda de condicionamento físico dos corredores amadores: 67,1% declararam apresentar um desempenho pior que antes da pandemia de covid-19. Isso deve-se muito ao fato de a maioria ter ficado muito tempo sem correr ao ar livre: 38,1% parou por três meses ou mais; 16,1%, por dois meses; 10,3%, por um; 11% disseram que nunca mais correram; só 23,9% dos atletas afirmaram não ter parado um mês sequer. E 57,4% das pessoas não voltaram a treinar em academias ou estúdios ainda.

A rejeição às corridas virtuais pela maioria foi confirmada: 53,5% dos corredores não participaram delas (com inscrições pagas) em 2020; 14,8% fizeram uma ao longo do ano; duas ou mais, 31,7%.

Confira agora os resultados* completos da pesquisa, que contou com a participação de 155 pessoas:

De quantas provas presenciais você participou em 2020?

Nenhuma: 36,8%
Uma: 18,7%
Duas: 19,4%
Três: 11,6%
Quatro ou mais: 13,5%

De quantas provas virtuais com inscrições pagas você participou em 2020?

Nenhuma: 53,5%
Uma: 14,8%
Duas: 9%
Três: 7,1%
Quatro ou mais: 15,5%

Você ficou quantos meses sem treinar corrida ao ar livre por causa da pandemia de covid-19?

Nenhum: 23,9%
Um: 10,3%
Dois: 16,1%
Três ou mais: 38,1%
Nunca mais corri: 11,6%

Você realiza seus treinos de máscara?

Sim: 63,9%
Não: 36,1%

Você voltou a frequentar academias ou estúdios?

Sim: 42,6%
Não: 57,4%

Como está seu desempenho na corrida?

Pior que antes da pandemia: 67,1%
Melhor que antes da pandemia: 32,9%

Você consegue correr hoje em dia distâncias maiores do que antes da pandemia?

Sim: 32,9%
Não: 67,1%

Você pretende voltar a comprar inscrições nos próximos meses?

Sim: 40,6%
Não: 21,3%
Ainda não sei: 38,1%

Observação do Esportividade: esse resultado de 40,6% dá um pouco de esperança para os organizadores, mas a retomada econômica depende dos fatores já mencionados.

Quantas provas de 2020 ficaram pendentes para você? Aquelas nas quais você já havia se inscrito…

Nenhuma: 21,9%
Uma: 15,5%
Duas: 21,9%
Três: 12,3%
Quatro ou mais: 28,4%

Você se inscreveria em mais provas sem saber ao certo as datas das suas corridas adiadas?

Sim: 14,8%
Não: 85,2%

Em que momento você se sentiria seguro o suficiente para voltar a participar de corridas? 

Já me sinto seguro: 14,8%
Quando a vacinação contra a covid-19 for iniciada no Brasil: 10,3%
Quando eu estiver vacinado (mesmo que a maioria da população não esteja): 16,1%
Quando eu e a maior parte da população brasileira estivermos imunizados: 58,1%
Não penso em voltar a participar de provas: 0,6%

* Percentuais arredondados

Leia também:
Momento dos organizadores de corridas é mais duro que o do início da pandemia

Deixe seu comentário