São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Corrida de rua 19/01/2021

Mesmo com vacinação em curso, risco é grande para São Silvestre e outras provas

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade

Avenida Rio Branco, uma das vias da São Silvestre-2019 (Esportividade)

Embora a vacinação contra a covid-19 tenha começado no domingo, 17 de janeiro de 2021, no estado de São Paulo, os efeitos dela não serão sentidos tão cedo pela população paulista. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o secretário da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, estimou que só daqui a seis meses haja a percepção de uma significativa redução do número de casos da doença que o novo coronavírus ocasiona.

Se esse cenário se confirmar, não se pode esperar que grandes corridas de rua (ou até mesmo de porte médio, para mais de 2 mil pessoas) recebam autorização para acontecer no estado nesse período, e a 96ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre está prevista para o dia 11 de julho de 2021, para daqui a menos de seis meses, reunindo 35 mil atletas nas ruas da região central de São Paulo. Tem tudo para ser adiada, então, para 31 de dezembro.

“Mesmo que a gente hoje vacinasse todos os idosos de forma abrupta, acima de 60 anos, nós teríamos 10% da nossa população imunizada. A gente veria o impacto disso de dois a três meses no número de internações e gravidade de doença, só. Mas, infelizmente, vamos começar ainda de uma forma muito lenta e gradual. Portanto, talvez a gente comece a ter alguma sensibilidade daqui a uns seis meses”, disse o secretário ao jornalista Thiago Amâncio.

Por enquanto, a CoronaVac, vacina da chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan, somente é aplicada em profissionais de saúde e grupos indígenas. Serão necessárias duas doses dela para cada pessoa – com um intervalo de 28 dias entre uma e outra.

Essa vacina, por ora a única em distribuição no Brasil, teve eficácia geral de 50,39% na terceira fase de estudos clínicos, não tendo havido registro de casos graves entre os vacinados nos testes (enquanto existiu um entre quem tomou placebo), e recebeu no domingo a primeira aprovação da Anvisa (com ressalvas) para uso emergencial. Não há certezas sobre a duração da proteção gerada pela vacina nem se sabe como (e se) a CoronaVac afeta a transmissibilidade do Sars-CoV-2.

Sambódromo do Anhembi durante evento-teste (Esportividade)

Nesse ritmo, portanto, é provável que este primeiro semestre de 2021 não seja muito diferente de boa parte de 2020, quando só provas pequenas puderam ser realizadas. Na cidade de São Paulo, a única foi a corrida de verificação de protocolo em 25 de outubro (sem inscrições abertas ao público); depois dela, nenhuma outra ocorreu.

Na segunda-feira, 18 de janeiro de 2021, o governo estadual anunciou a piora de todos os indicadores da doença no estado. “As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 70,1% na região metropolitana e 69,1% no estado”, diz. Devido a isso, a região metropolitana deve regredir à fase Laranja do Plano São Paulo ainda nesta semana.

Opinião do Esportividade:
Organização da São Silvestre vende prova de difícil realização em 11/07

Deixe seu comentário