São Paulo - região metropolitana
BUSCA
DE EVENTOS
BUSCA DE EVENTOS
Futebol 27/05/2013

Palmeiras e São Caetano estreiam na Série B com pouco público

Por Andrei Spinassé, editor do Esportividade
Henrique, do Palmeiras, disputa a bola em jogo contra Atlético-GO (Cesar Greco/Ag Palmeiras)

Henrique, do Palmeiras, no jogo contra o Atlético-GO (Cesar Greco/Ag Palmeiras)

Os dois times da região metropolitana de São Paulo que disputam a Série B do Campeonato Brasileiro em 2013, Palmeiras e São Caetano, contaram com baixíssima presença de público em seus respectivos jogos na primeira rodada da competição.

O caso do Palmeiras foi mais emblemático: mandando suas primeiras partidas em Itu por causa de uma punição aplicada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva, enfrentou o Atlético-GO na tarde de sábado, 25 de maio, com apenas 4.612 pagantes nas arquibancadas do Novelli Júnior, que tem capacidade recomendada de 18.652 pessoas. A renda líquida do jogo foi de R$ 108.837,38. O Palmeiras venceu a equipe goiana por 1 a 0.

A torcida palmeirense protestou contra os preços dos ingressos, que custavam R$ 60 e R$ 200 (valores inteiros). A diretoria do Palmeiras diz ter feito um aumento por causa do alto índice de compra de meia-entrada. Ela recomenda, então, que os torcedores se associem ao programa Avanti, por meio do qual eles obtêm descontos.

Um palmeirense morador da região central de São Paulo que não se encaixe nas regras de meia-entrada, que não faça parte do Avanti e que tenha ido a Itu sozinho não gastou menos de R$ 108,90.

Em São Caetano do Sul, no Anacleto Campanella, na noite de sexta-feira (24), apenas 632 pagantes viram São Caetano 0x0 Ceará. O Azulão havia colocado à venda 2.130 ingressos, cujos valores inteiros eram R$ 20 e R$ 30. O estádio tem capacidade para 14.400 pessoas.

Também disputam a Série B os paulistas Bragantino, Guaratinguetá e Oeste.

Notícia atualizada em 3 de junho com números oficiais.

Deixe seu comentário


Enviando esse comentário estou ciente da política de privacidade deste SITE JORNALÍSTICO.